Patagônia




Imagem de Satélite Patagonia

Na Argentina, está situada ao sul do Rio Colorado e se divide em duas sub-regiões: a primeira constituída por cadeias montanhosas permeadas por vales, bosques, lagos e geleiras, e, a segunda, formada por uma gigantesca meseta de variada morfologia, constituída por serras, desertos, depressões, infinitas estepes e amplos vales fluviais.

Ocupa as províncias de La Pampa, Neuquén, Rio Negro, Chubut, Santa Cruz e Tierra del Fuego. Todas têm em comum a enorme beleza de suas paisagens, as grandes distâncias e sua pouca densidade de populaçao.

Do lado da cordilheira se destaca a magnificência de suas montanhas, bosques incríveis que emolduram lagos de águas cristalinas, geleiras milenárias e uma rica variedad de fauna enquanto que do lado Atlântico a que reina é a baleia franco austral quem compartilha as àguas com orcas, lobos e elefantes marinhos, pingüins e golfinhos overos.

Entre as montanhas da cordilheira dos Andes e a bravura do oceano Atlântico, as áridas mesetas varridas por incontroláveis ventos, encerram em seus vales múltiplas e curiosas riquezas naturais e culturais.

Santa Cruz oculta tesouros como os Bosques Petrificados e o Glaciar Perito Moreno. Chubut há também tesouros culturais bem conservados, como as localidades do Gaiman e Travelín. Ali, os desendentes dos colonos galeses que chegaram no final do século XIX à província do Chubut, ocupam-se de manter vivas as tradições de seus antepassados.

Um circuito especialmente dotado de beleza é o denominado “Ruta de los 7 Lagos” em Neuquén, para viajar desde Junín de los Andes até San Carlos de Bariloche (Rio Negro), destino turístico por excelência. Esta cidade atrai a milhões de turistas que praticam esportes invernais, turismo aventura ou a simples contemplaçao da natureza.

No extremo sul está a cidade da Ushuaia. Entre as visitas obrigadas se encontram os Museus do Fim do Mundo, o antiguo Presídio e o Trem do Fim do Mundo que chega até o Parque Nacional Tierra del Fuego.

Vulcão Lanín - Junín de los Andes, Neuquén



Lago Nahuel Huapí - Bariloche, Río Negro

Clima:

As temperaturas registradas variam desde as mais baixas do continente até os 45ºC, desabando chuvas torrenciais na zona nos bosques cordilheiranos do Chile enquanto o ar é tórrido e seco nos desertos da meseta central argentina.

Vegetação:

Incluindo o deserto, a estepe, a tundra, a floresta fria e os bosques austrais, uma razoável parcela da Patagônia está protegida pela criação de pelo menos 12 parques e reservas nacionais na Argentina e outro tanto em território chileno.

Relevo:

Reunindo uma grande diversidade de paisagens e habitats que variam desde a alta montanha, os campos de gelo.

São comuns as geleiras gigantescas, montanhas, lagos e rios formados de degelo, bem como paisagens pampeanas, desertos e bosques de árvores típicas da floresta úmida como alerces e araucárias centenárias.

Litoral:

A pesca, a pecuária, a lã, as frutas e o petróleo são os principais produtos da região, além do turismo. O litoral é famoso por reunir algumas das maiores colônias de pingüins do mundo, além de ser santuário para reprodução de baleias, lobos marinhos e uma enorme variedade de pássaros.

História e Cultura:

Tanto no Chile quanto na Argentina a acolhida ao turista é hospitaleira, qualidade que se ressalta no homem do interior acostumado à vida isolada em razão das grandes distâncias.

A cultura e os hábitos do homem pampeano, representado no Brasil pela figura do gaúcho, presente no Rio Grande do Sul e em partes de Santa Catarina e do Paraná, adentra Argentina e prolonga-se em direção ao sul por uma faixa ininterrupta até os confins da Terra do Fogo, mesclando-se com bolsões de descendentes de imigrantes europeus com a forte cultura indígena autóctone.

Assim, não será nenhuma surpresa se, em algum destes países, o viajante for convidado a sentar-se frente ao fogo e acolhido com uma cuia de chimarrão, localmente chamado de mate, representando não só a bebida nacional como também um franco e representativo sinal de hospitalidade.