Buta Ranquil

Localidade: Buta Ranquil

Origem do nome: mapudungun “buta” (grande) e” rancül” planta gramínea, capim de lugares úmidos, excelente pastagem. Grandes pastagens

Como chegar: Ruta Nacional 40.

Temperaturas no verão: Média máxima 30º C/ Média mínima 16º C

Temperaturas no inverno: Média máxima 13ºC / Média mínima: 4ºC

Distância até Neuquen Capital: 487 km.

Distância até a Buenos Aires: 1305 km.

Secretaria Municipal de Turismo e Cultura: : Genaro Carreño e Primeros Pobladores | Tel +54 2948 49301

Posto de gasolina: Sim


Zona rural de Buta Ranquil y el Volcán Tromen - Foto: Luis Alberto Reyes


O vale de Buta Ranquil (1245 metros acima do nível do mar) está situado no limite da região dos Andes de transição e a pré-cordilheira no extremo norte da província. Está delimitado pelo rio Colorado, as formações montanhosas de Chihuidos e a cadeia dorsal do vulcão Tromen.

Este vale fértil é banhado pelos riachos Buta Ranquil, Huantraico e Chacay.

Seus habitantes dedicam-se especialmente à criação de caprinos, ovinos e eqüinos e contam com aproximadamente 300 hectares de plantações onde se cultivam alfafa e várias verduras.

Na região de Buta Ranquil encontram-se jazidas de gás e hidrocarbonetos da bacia neuquina o que ajudou a transformar essa cidade em um importante centro de serviços para essa atividade econômica, atendendo a muitas empresas que exploram gás e petróleo.


El río Colorado y Ruta Nac. 40 - Foto: Argentour.com

História de Buta Ranquil

Quando houve o desastre que originou a lagoa Carl Lauquén que arrasou a localidade de Barrancas em 1914, foi convertida em capital legislativa do departamento de Pehuenches. Até o ano 1920, seus habitantes eram na maioria de origem chilena que tinham se radicado em terras de propriedade fiscal e se dedicavam à agricultura e à pecuária.

Pelo censo de 1889 Buta Ranquil contava com uma população de 200 habitantes e em 1896 já começava a construção do edifício da Comissaría.

Ainda que a Comissão de Fomento tenha começado a funcionar em 1928 por decreto do Poder Executivo Nacional, firmado pelo Presidente Uriburu, ela foi oficialmente criada em 27 de maio de 1931. A fundação do povoado deu-se em 21 de agosto de 1985 quando foi registrada a chegada de várias famílias provenientes da República do Chile.


O que visitar en Buta Ranquil


Vulcão Tromen

A 4114 metros acima do nível do mar, é ideal para os amantes de alpinismo e do turismo de aventura em geral. Podem-se realizar trekkings e safáris fotográficos.


Volcán Tromen - Foto: Argentour.com


Lagoa do Aparato

Distante 10 km de Buta Ranquil, existe uma lagoa uma grande variedade de aves silvestres como o cisne de pescoço preto, patos, gallaretas, galos da água e gansos silvestres. O local está apto à prática de esportes aquáticos, como a canoagem e a pesca esportiva do peixe-rei, da truta, da perca, do arco-iris e outras espécies.


Laguna El Aparato - Foto: Luis Alberto Reyes


Laguna del Tromen

Lagoa do Tromen: situada ao pé do vulcão Tromen, constitui um lugar exótico por sua beleza natural. Suas águas cristalinas recebem uma infinidade de aves silvestres que se refugiam nesse ambiente natural, entre elas um sem número de patos silvestres, cisnes do pescoço preto e flamingos. Nessa lagoa não há peixes.


Flamengos en Laguna Tromen - Foto: Alejandra Melideo


Zona de los cactus

Região dos Cactos: às margens do rio Colorado a 10 km de Buta Ranquil, pode-se apreciar uma espécie de cactos endêmico, único por suas características fitogeográficas. Faz parte das relíquias vegetais e recursos biológicos da província. Sua altura oscila entre1, 5m e 2,20m.


Los Cactus - Foto: Luis Alberto Reyes


Pinturas rupestres

Pinturas rupestres: A região conta com importantes sítios arqueológicos, nos arredores da área de Butaco encontra-se a Caverna do Huemul com variedades de pinturas rupestres e restos arqueológicos. E na área rural do povoado também há pinturas rupestres.


Caverna del Huemul - Foto: Luis Alberto Reyes


La Tungar

Um lugar de transcendência histórica é La Tungar distante 30 km de Buta Ranquil. Aqui houve grande movimentação carbonífera nos finais da década de 30 (1937 a 1940) por parte de empresários alemães que trabalhavam para o Terceiro Reich de Adolfo Hitler. Contam os que trabalharam e conviveram com os alemães que retiravam carvão e vanádio que eram enviados ao regime alemão como componente vital para os seus arsenais.

Hoje podemos observar o que restou do povoado, a mina e o bunker que permanece quase intacto. Além disso, no lugar também se acham fósseis petrificados de crustáceos e de animais aquáticos e uma grande quantidade de cristais de rocha.


Paraje La Tungar - Foto: Luis Alberto Reyes


Cerro Wayle Parque de Nieve

Situado a 30 km de Buta Ranquil, a Cerro Wayle em frente ao vulcão Tromen se eleva majestoso com seus 3296 metros acima do nível do mar. Recebe cada vez mais residentes e turistas, sobretudo do alto vale do Rio Negro, Neuquén e outras províncias. O Parque de Nieve é a principal atração turística da região norte na época do inverno. A quantidade de neve que se acumula e a grande variedade de pistas permitem praticar esqui alpino, nórdico e também fazer passeios em moto de neve. Ainda se estudam tecnicamente as suas pistas para seu desenvolvimento potencial.

Mais informação Cerro Wayle


Caverna La Salamanca

para os amantes da espeleologia, ou simplesmente para os curiosos e interessados em descobrir as maravilhas do mundo subterrâneo, a Caverna La Salamanca oferece uma excelente oportunidade. Encontra-se apenas a 2 km ao norte de Buta Ranquil pela RN 40 no povoado de Aguada de los Pajaritos. Possui 204 metros de longitude e dentro de seu túnel o teto está adornado com pseudo-estalactites, formadas pelo gotejar de lava vulcânica que em algum momento circulou em seu interior e ao escorrer foram esculpindo essas fabulosas figuras pétreas. Sua formação e composição foram objeto de estudo por parte de vários especialistas.


El Hoyo o la Olla

Un kilómetro al oeste de la localidad, camino al Volcán Tromen, se ubica el accidente geográfico denominado: "El Hoyo" o "La Olla". Una enorme "olla" de unos 300 metros de diámetro rompe con la llanura del sector llamando fuertemente la atención de los visitantes.

Hasta la fecha no se han realizado estudios científicos pero hay varias hipótesis en cuanto al origen del mismo. Entre otras se mencionan el impacto de un meteorito o la posibilida de hundimiento del terreno por corriente de aguas subterráneas.


El Hoyo o La Olla - Foto: Luis Alberto Reyes


Salto Arroyo Buta-co

Saliendo por RN 40 hacia el norte se recorren unos 20 km hasta llegar a un pequeño puente sobre el arroyo Buta-co. Se pueden transitar unos 2 km arroyo arriba en vehículo, para luego continuar caminando los últimos 3 km hasta llegar al imponente salto de agua que cae desde 60 metros de altura. Es una hermosa caminata costeando el arroyo donde, en sectores, este corre encajonado.

En el recorrido se puede ver una antigua usina utilizada en el pasado para la producción de electricidad aprovechando la fuerte corriente del arroyo.

Para este paseo se debe calcular 3 horas de caminata entre ida y vuelta.


Salto Arroyo Buta-co - Foto: Luis Alberto Reyes


Precipicio de los Basaltos

Recorriendo unos 15 km hacia el norte por la RN 40 se arriba al sector del Cerro Huemul. Entrando a la derecha por un accidentado camino se llega a la imponente vista del " Precipicio de los Basaltos". Un barranco de aproximadamente 100 mts. de altura que brinda una hermosa vista del río Colorado y la Sierra de Reyes.

Es importante circular con muchisima precaución ya que el camino finaliza justamente en el precipicio.

Se cuenta que la Sierra de Reyes, en la provincia de Mendoza, debe su nombre al apellido del vencedor en un duelo a muerte que se llevó a cabo en el lugar. Nadie recuerda exactamente cuando.


PRECIPÍCIO DOS BASALTOS - Foto: Luis Alberto Reyes


Festas Populares


Fiesta Provincial Del Arriero

Esta tradicional celebração acontece no norte neuquino durante o terceiro final de semana de fevereiro. A proposta é homenagear os criadores, sendo muitos deles os protagonistas das “veranadas”, atividade de manejo que se realiza apenas em dois pontos do globo, sendo um deles o norte da província. As atividades hípicas são das mais aplaudidas. Não faltam espetáculos folclóricos, como danças e canto e o esperado desfile gaúcho.

Além disso, no pavilhão pode-se aproveitar o sabor tradicional dos pratos típicos assim como apreciar as exposições de artesanato e animais.