Festividades em Argentina



Carnaval da Argentina - Gualeguaychú

As expressões de um povo através de suas festividades religiosas são as mais autênticas e as que permitem descobrir os valores sobre o que se constrói sua cultura. O argentino é um povo religioso por definiçao, desde suas origens. As demostraçoes podem estar tingidas de traços pré-hispânicos como as celebraçoes da Semana Santa na localidade da Tilcara (Jujuy) onde ao rito cristão lhe somam as oferendas à “pachamama” –mãe terra-; ou no corrida de touros da vincha no povo jujeño de Casabindo em honra à virgem María cada 15 de agosto.

A maioria da população pertence á religião católica e demostra seu fé na tradicional procissão a pé ao santuário do Luján (60 quilômetros da cidade de Buenos Aires); na celebração da Virgem María de São Nicolás cada 25 de setembro; nos festejos do Senhor do Milagre e a Virgem do Rosário do Milagre na cidade de Salta e no Via Crucis de Semana Santa na cidade do Tandil (Buenos Aires).




Mas não podemos esquecer que ha pelo menos ainda outros seis que seguem atras de bem perto, estes são: Chapelco, Ski & Summer Resort; La Hoya, Esquel; Cerro Bayo Villa La Angostura; Cerro Castor, Ushuaia; Catedral, Bariloche; e Caviahue.

A cordilheira dos Andes que forma o limite natural entre a Argentina e Chile é o âmbito onde se desenvolvem todas as modalidades dos esportes invernais. Localizada em um lugar de maravilhosa paisagens naturais, a cidade de Bariloche possui o centro de esqui mais antigo e grande de toda a Argentina, o Cerro Catedral ( Rio Negro ).




Dos centros mais elegantes podemos nomear o Valle de las Leñas (Mendoza). Por sua altura, a qualidade de sua neve e suas instalações se encontra entre o melhor do mundo.

Pela riqueza de seus trajes, a quantidade de participantes e seu impacto popular, muitos o consideram como um dos três principais carnavais do mundo, depois do carnaval do Rio do Janeiro, Bahia e Veneza.

Infinidade de Festivais, nascidos a partir de tradiçoes vinculadas à produção, atividades de campo ou artesanatos (doma, colheita de uvas, o poncho), realizam-se em todo o país permitindo que música e baile ajudem àquele que assim o deseje, a ser algo mais que um simples espectador.